(11) 4116-1047

(11) 99115-7707

R. Fernando de Albuquerque 31 - cj. 42

atendimento@metodosweb.com.br

UMA BOA GESTÃO DOS ESTOQUES VAI MELHORAR SEUS LUCROS

Consultoria Empresarial e Gestão  ,

O gerenciamento dos ESTOQUES é uma das ferramentas mais importantes que uma empresa pode usar para reduzir seus custos e com isso, melhorar suas margens de lucro.

Vamos citar o caso de um empresário no interior de SP, que mostrava para suas visitas há alguns anos, um depósito com mais de 2.000m2/ac, lotado de produtos prontos para entrega e venda….Olha meu estoque pronto !.. dizia todo orgulhoso… Alguns anos depois entrou em concordata preventiva e com ajuda de consultores, conseguiu sair da concordata, mudou sua forma de ver os estoques, de colocar todos os “ovos numa cesta” e hoje tem um grupo, com vários negócios diferentes, que vão de equipamentos de ginástica a chácaras de lazer alugadas em datas comemorativas e festivas, como natal e ano novo.   Está lucrando com todas suas atividades e já preparando os filhos para tocar os negócios.

CONTROLE DOS ESTOQUES E OS PRAZOS DE COMPRAS

Estoque representa sempre imobilização de capital de giro próprio ou de terceiros. Quando o prazo médio de compras for maior do que o prazo médio de vendas, nosso fornecedor estará financiando o estoque. Entretanto, hoje esta situação ideal é mais difícil de ser negociada, em função de margens apertadas em toda a cadeia de fornecimento.

Na maioria das vezes o estoque representa capital próprio imobilizado. A nossa alternativa na gestão dos estoques é conseguir o mínimo de estoque com a máxima rotação.

E para isso, precisamos estabelecer os seguintes pontos de gestão :

1)- Montar  a curva ABC  (A curva ABC é uma metodologia baseada em Pareto, que permite ver que A:20% dos produtos representam 70% do Valor em R$ que há investido em estoques.  B:30% dos produtos representam 20% do valor em estoques. C:50% dos produtos representam 10% do valor em estoques). A empresa deve gerenciar com rigor, os produtos da Curva A, por representar 80% do valor aplicado em estoques. E também tomar cuidado com os produtos das Curvas B (30%) e C (50%), para não gerar estoques encalhados, mantendo suas listas à disposição de vendas, até mesmo em campanhas promocionais.).

2)- Definir os lotes de reposição dinâmica de estoque  (Além dos tradicionais Estoque Mínimo (o mínimo de estoque para um período produtivo ou de vendas), Estoque Máximo (o máximo de estoque para um período produtivo ou de vendas), também pode-se usar o Estoque de Reposição, inserindo alguma margem de segurança, como 30% ou 50% se for o caso.   Assim, se o estoque mínimo é 20 peças, você considera como Reposição 26 peças (acrescentando 30% de margem de segurança) ou 30 peças (acrescentando 50%).

3)- Definir, o sistema para acompanhamento permanente de inventário (A periodicidade dos inventários permanentes pode ser definida usando a Curva ABC como direcionador.

Se os produtos da Curva A, são os que geram maior valor financeiro, com 70% do valor  ($) em estoque, você pode realizar um Inventário Semanal, já que serão apenas 20% dos itens em estoque.  Para os produtos da Curva B, pode adotar uma frequência quinzenal, porque são 30% dos itens, mas só representam 20% do valor em dinheiro ($). E da curva C, que são os mais volumosos, uma frequência mensal, já que são 50% dos itens mas representam apenas 10% do valor financeiro ($).   Assim, mantém o controle financeiro de 80% do valor em estoques  em mãos ao controlar a Curva A.  E o controle mensal do volume de itens das Curvas B e C, para informar vendas e financeiro).

4)- Definir os lotes de compras adequados,  entre o consumo e a reposição, através da sugestão de compra bem estabelecida, observando a disponibilidade financeira futura para pagar ( Uma metodologia mais adequada é usar uma Média da Demanda para ajustar os Lotes de Compra. Assim, se a Demanda estiver crescendo, você aumenta os lotes. E se estiver caindo, você diminui os lotes. É melhor que trabalhar por médias de vendas.  Acrescenta-se uma margem de segurança conforme fornecedor, de 10 a 30%. E tem-se mais garantia que o lote é adequado.). Se a sua média de vendas for 30 peças por mês, mas a demanda estiver caindo, não convém comprar as 30 peças….  Podeerá ajustar o Lote de Compra para  26 peças(usando 30% de margem de segurança).   Da mesma forma, se a demanda estiver aumentando, será melhor aumentar  o Lote de Compras.

5)- Estabelecer um layout funcional, para se conseguir um bom armazenamento com economia de utilização de espaço (Atualmente, já existem no mercado muitas empresas especializadas em adequar layout, com estocagem, armazenamento e movimentação, para agilizar os recebimentos e saídas de mercadorias, nas docas das expedições.   As próprias docas contam com dispositivos de movimentação e rampas que dão mais velocidade às cargas ou descargas dos veículos.  Não se improvisa mais  comprando prateleiras em ferros velhos para improvisar depósitos e armazenagem e os processos já são informatizados.

6)- Definir critérios seguros para evitar desvios, na recepção e entrega de mercadorias  (Com a informatização dos sistemas, hoje é mais fácil ter documentação, que garante uma conferência segura nos recebimentos e também nas entregas dos produtos.  Mesmo assim, na recepção, um check-list dos produtos, focando sua qualidade, vai evitar receber matéria prima inadequada ou material diferente  do que foi adquirido ou com defeitos visíveis. Outros, caso de eletrônicos, lacrados, os defeitos vão aparecer na frente, mas tem que ser registrados para forçar os próprios fornecedores a melhorar sua saída de produtos.  Quanto às remessas de produtos, o risco de alguém colocar peças a mais nos veículos, pode ser diminuído promovendo rodízio nas funções e inspeções surpresas nos lotes embarcados, com checagem geral).

Autor: Prof.João Mariano de Almeida, administrador de empresas, com pós em RH e mestrando em Gestão de Negócios, atuando desde 1981, em Projetos de Melhorias de Resultados (produtividade/processos/qualidade, reduzir custos/desperdícios, marketing/vendas/gerar novos negócios, RH/motivação), em negócios familiares. É autor dos áudiolivros “As 10 Dicas para Sucesso da Empresa Familiar” e “Sugestões para Solucionar Problemas na Gestão Familiar”, consultor da Métodos consultoria empresarial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top