APURAR CUSTOS CORRETOS NA INDÚSTRIA, COM A FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA

Para apurar custos corretos e como resultado estabelecer preços de venda apropriados, é necessário considerar uma série de fatores, desde os custos de produção até os fatores externos que afetam o mercado.

1. Custos Diretos de Produção

Os custos diretos de produção são os gastos relacionados diretamente à fabricação dos produtos. Eles incluem matérias-primas, mão de obra direta e despesas com a linha de produção.

a) Matérias-Primas: O primeiro passo para apurar custos corretos é calcular com precisão os gastos com matérias-primas. Isso inclui aquisição, armazenamento e uso eficiente desses materiais. Negociar com fornecedores, buscar alternativas mais econômicas e adotar práticas de gestão de estoque eficazes são estratégias para reduzir esses custos.

b) Mão de Obra Direta: A mão de obra direta representa os custos com os funcionários envolvidos diretamente na produção. É fundamental estabelecer padrões de produção e monitorar o desempenho dos trabalhadores para garantir que esses custos sejam controlados.

c) Despesas com a Linha de Produção: Equipamentos, manutenção e energia elétrica são exemplos de despesas relacionadas à linha de produção, sendo importante manter um controle detalhado desses gastos e buscar otimizações sempre que possível.

2. Custos Indiretos de Produção

Além dos custos diretos, as empresas também precisam considerar os custos indiretos de produção, que incluem despesas gerais da fábrica, como aluguel, seguros, depreciação de ativos e custos administrativos.

a) Rateio de Custos Indiretos: Para alocar os custos indiretos aos produtos de forma justa, as empresas podem adotar métodos de rateio, como o custeio por absorção ou o custeio direto. Esses métodos determinam como os custos gerais da empresa são atribuídos a cada unidade de produto.

b) Controle de Despesas Indiretas: Além de alocar os custos indiretos, é fundamental controlar as despesas indiretas. Isso pode ser feito por meio de orçamentos e análises de custos. A redução de despesas gerais da fábrica contribui diretamente para a obtenção de custos corretos.

3. Margem de Lucro Desejada

A margem de lucro desejada é um elemento-chave na formação do preço de venda. As empresas precisam estabelecer uma margem que seja suficiente para cobrir os custos e gerar lucro.

a) Análise da Concorrência: Para estabelecer uma margem de lucro competitiva, é importante analisar a concorrência e entender como os preços são definidos no mercado. Isso ajuda a evitar preços muito baixos que comprometam a lucratividade ou preços muito altos que afastem os clientes.

b) Objetivos da Empresa: A margem de lucro desejada também deve ser alinhada com os objetivos da empresa. Algumas empresas podem buscar uma margem maior para investir em inovação, expansão ou outros projetos, enquanto outras podem optar por margens menores para conquistar uma fatia maior do mercado.

4. Custos de Distribuição e Logística

Os custos de distribuição e logística são outra parte fundamental na formação do preço de venda na indústria. Eles incluem gastos com transporte, armazenamento, embalagem e distribuição dos produtos.

a) Transporte e Armazenamento: O custo de transporte pode variar dependendo da distância, do peso e do tipo de produto. A eficiência na gestão da cadeia de suprimentos e o uso de tecnologias como o rastreamento de mercadorias podem reduzir esses custos. Além disso, o armazenamento eficiente dos produtos é fundamental para evitar perdas e desperdícios.

b) Embalagem: A embalagem dos produtos desempenha um papel importante na logística e no marketing. A escolha de materiais de embalagem adequados e eficientes pode reduzir os custos e agregar valor ao produto.  Um exemplo novo é a mudança no design das latinhas de cervejas e refrigerantes, de 360 ml, antes mais arredondadas e agora mais altas e estreitas, gerando ganhos na embalagem dos “paletes”  e no transporte.   Outros produtos seguem o mesmo caminho.

c) Distribuição: A forma como os produtos são distribuídos também afeta os custos. A seleção de canais de distribuição eficazes e a otimização das rotas de entrega são alternativas para controlar esses custos.

5. Previsão de Demanda e Elasticidade de Preços

A previsão de demanda é essencial na formação do preço de venda, pois permite que a empresa ajuste a produção e os estoques de acordo com as variações na procura.

a) Análise de Dados de Vendas: A análise de dados de vendas passadas e o uso de ferramentas de previsão, como modelos estatísticos e software de gestão, são úteis para prever a demanda com precisão.

b) Testes de Preços: Realizar testes de preços em diferentes segmentos de mercado pode ajudar a entender a elasticidade de preços. Isso permite ajustar os preços de acordo com a sensibilidade dos clientes às variações de preço.

6. Estratégias de Marketing e Posicionamento de Mercado

A forma como a empresa se posiciona no mercado e suas estratégias de marketing também influenciam a formação do preço de venda. O preço deve ser consistente com a imagem da marca e a proposta de valor oferecida aos clientes.

a) Valor Percebido pelo Cliente: O preço deve ser alinhado com o valor percebido pelo cliente. Isso significa que os clientes devem sentir que estão recebendo um produto de qualidade a um preço justo.

b) Posicionamento de Mercado: O preço pode ser usado como uma ferramenta essencial para posicionar a empresa no mercado. Preços mais altos podem comunicar qualidade e exclusividade, enquanto preços mais baixos podem atrair um público mais amplo.

7. Análise de Sensibilidade e Cenários Futuros

A formação do preço de venda não é uma tarefa estática. As empresas precisam estar preparadas para reagir a mudanças no ambiente de negócios.

a) Análise de Sensibilidade: A análise de sensibilidade envolve a avaliação de como variações nos custos, preços e na demanda afetam a rentabilidade.

b) Cenários Futuros: A consideração de cenários futuros envolve a criação de planos de contingência para situações como aumento dos custos de matéria-prima, mudanças na concorrência ou variações na demanda.

8. Tecnologia e Automação

A tecnologia desempenha um papel cada vez mais importante na formação do preço de venda na indústria. Ela pode ajudar a otimizar processos, reduzir custos e melhorar a eficiência operacional.

a) Automatização de Processos: A automação de processos de produção e logística pode reduzir os custos de mão de obra, melhorar a qualidade e acelerar a produção.

b) Sistemas de Gestão Integrada: Sistemas de gestão integrada, como o ERP (“Enterprise Resource Planning”), permitem o controle mais eficiente dos custos e a integração de informações em toda a empresa.

9. Estratégias de Precificação

A estratégia de precificação é a abordagem geral que a empresa adota para definir preços de venda.

a) Precificação de Custo + Margem de Lucro. Nessa estratégia, a empresa define os preços adicionando uma margem de lucro a partir dos custos de produção. Isso garante que os custos sejam cobertos, mas não leva em consideração fatores de mercado.

b) Precificação Baseada na Concorrência: Nessa abordagem, a empresa ajusta seus preços com base nos preços praticados pela concorrência. Isso ajuda a manter a competitividade, mas pode levar a margens mais baixas.

c) Precificação Baseada no Valor: Nessa estratégia, os preços são definidos com base no valor percebido pelo cliente. Produtos de alta qualidade ou com recursos exclusivos podem ter preços mais elevados.

d) Precificação Dinâmica: A precificação dinâmica envolve a variação dos preços de acordo com a demanda e fatores como a sazonalidade. É comum em setores como aviação e hotelaria.

10. Monitoramento e Ajuste Constante

A formação do preço de venda na indústria não é um processo estático. É necessário monitorar constantemente os custos, os preços e as condições de mercado e fazer ajustes quando necessário.

a) Acompanhamento de Custos: O acompanhamento regular dos custos de produção, distribuição e logística é fundamental para garantir que os preços sejam atualizados de acordo com a realidade.

b) Avaliação de Preços: Os preços também devem ser avaliados regularmente de acordo com os objetivos da empresa e condições de mercado, realizando-se ajustes se for necessário.

c) Feedback dos Clientes: O feedback dos clientes é uma fonte valiosa de informações sobre a percepção dos preços. A empresa deve estar aberta a ouvir os clientes e fazer mudanças com base nesse feedback.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top
Verified by MonsterInsights