(11) 4116-1047

(11) 99115-7707

R. Fernando de Albuquerque 31 - cj. 42

atendimento@metodosweb.com.br

COMO APURAR MEU LUCRO Será que realmente estou tendo lucro ?

Consultoria Empresarial e Gestão  

O conceito de Lucro pode ser objetivamente definido pela diferença entre a Receita e os Custos de uma empresa, mas se formos nos aprofundar mais um pouco veremos que não é tão simples assim e que ainda existem muitos empresários que não sabem medir sua lucratividade com precisão. Há ainda os que admitem não saber qual é realmente o seu lucro liquido final.

O principal problema encontrado ainda é conceitual. Primeiramente precisamos prestar atenção na maneira como apropriamos as Receitas e os Custos de uma empresa. Um erro comum praticado pelos empresários em geral é o fato de fazerem a apuração de seu resultado através de sua movimentação financeira.

Normalmente somam todos os recebimentos do mês ( dinheiro, cheques a vista e pré-datados, cartões de crédito e débito) e subtraem das despesas pagas no decorrer do mês (aluguel, impostos, comissões, dentre outros). Esta conta esta certa sob o ponto de vista financeiro e deve ser realizada através de um bom controle de fluxo de caixa, mas se formos pensar em apurar o lucro mensal, temos de pensar de forma econômica.

Para se elaborar uma boa Analise de Resultado Econômica, temos de ter o cuidado de levar em conta o regime de competência. No regime de competência, não importa se ainda não recebemos todo o dinheiro das vendas. Temos de lançar todas as vendas efetuadas, independente de já termos recebido ou não todo o dinheiro. O mesmo vale para as despesas.

Outro dia estava conversando com um lojista e este me dizia que não sabia porque de repente a sua situação financeira ficou mais “apertada” se há alguns meses atrás estava com dinheiro sobrando. Fui ajudá-lo a levantar os números e constatei que na verdade ele estava fazendo a apuração financeira e não econômica, ou seja, estava fazendo a “conta de padeiro” como costumo brincar com meus clientes.

Constatei que a tal sobra de caixa ocorreu porque houve uma concentração muito grande de recebimentos (a maioria de vendas a prazo, efetuadas meses antes) fruto das vendas realizadas na época do dia das mães. O lojista confidenciou-me que quando verificou aquela grande sobra de dinheiro naquele mês, imaginou que estava tendo um belo resultado e decidiu gastar por conta daquele aparente lucro.

Digo aparente, porque aquele resultado era na verdade um saldo financeiro de caixa e não o lucro econômico daquele mês. Ao levantarmos o lucro correto daquele mês, constatamos que na verdade a empresa havia tido prejuízo, apesar de estar com um grande saldo de caixa. Vejam só como os números mal elaborados podem nos levar a decisões erradas.

O lojista  achando que estava tendo lucro, decidiu gastar mais do que o habitual e acabou se “apertando” financeiramente. Se ele tivesse uma boa Analise de Resultados, saberia que deveria rever suas estratégias e poderia inclusive, através deste controle, identificar quais foram os fatores que o levaram a essa situação.

Costumo dizer que administrar uma empresa é como dirigir um carro. Hoje em dia não basta apenas saber dirigir bem. É preciso ter um bom “painel de informações” tal qual  encontramos nos carros de última geração. É comum encontrarmos carros com GPS, computador de bordo, sensor de proximidade que em rota de colisão ativa os freios (abs) e até carros com bussolas como é o caso do porshe Caynee. PORSHE CAYNEE   Nas empresas não é diferente pois o mercado evoluiu, os clientes se tornaram mais bem informados e a concorrência se acirrou como nunca havíamos visto anteriormente, pressionando as margens de lucratividade cada vez mais para baixo

. É fundamental que os empresários tenham o mais absoluto controle de sua empresa, destacando-se os instrumentos de medição, acompanhamento e projeções de todos os pontos vitais da empresa (compras, estoque finanças, precificação, vendas e marketing)

Não ter esses instrumentos é como dirigir um carro na serra, à noite com o painel totalmente quebrado, tendo que dirigir enxergando apenas alguns metros e mesmo assim tendo de acompanhar os carros que estão a frente (concorrentes), que muitas vezes acabam ditando o mercado, principalmente em termos de preços, influenciando a sua maior ou menor lucratividade.

Não devemos apenas seguir o mercado. Temos de criar nosso próprio caminho, enxergando kms a frente e traçando a melhor rota a ser seguida, de acordo com a estrutura e potencia de nosso carro (empresa), para que não tenhamos quebras ou acidentes que impeçam o avanço constante e seguro. Para a perfeita criação e modelagem desse painel de gestão da empresa, é recomendada a contratação de uma boa consultoria empresarial, pois ela terá uma visão isenta e profissional na definição dos indicadores de performance que deverão ser criados.

Ela ensinará como formar seus preços de venda de acordo com sua estrutura de custos, analisando a concorrência e o mercado em que atua. Definirá estratégias de compra, venda e marketing. Ensinará a analisar os dados e tomar providências a tempo de corrigir os rumos do negócio. Ensinará a apurar o lucro e a realizar planejamentos financeiros com segurança. A consultoria permitira valorizar e qualificar melhor sua mão de obra.

Se você quer saber mais sobre custos, não deixe de baixar nosso vídeo “Entendendo melhor o Ponto de Equilíbrio” e saiba como apurar seu Custo Fixo, Custo Variável, Margem de Contribuição e até mesmo o Ponto de Equilíbrio.

No próximo artigo comentaremos quais são as 3 ferramentas de gestão que sua empresa não pode deixar de ter, complementando o assunto aqui abordado, mas o importante é atualizar-se e sempre absorver novos conhecimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top