(11) 4116-1047

(11) 99115-7707

R. Fernando de Albuquerque 31 - cj. 42

atendimento@metodosweb.com.br

Uma contribuição de quem acredita que as empresas familiares podem ser um sucesso, desde que profissionalizadas em tempo hábil. Essa visão nos levou a realizar mais de 25 palestras no tema “Gestão Familiar”, mostrando sua necessidade de profissionalização e criando com essa experiência, o áudiolivro “As 10 Dicas para o sucesso da empresa familiar”, cujas dicas de 6 a 10 seguem abaixo:

 Dica 6: Possibilitar que os não familiares tenham oportunidade de carreira, até o topo da organização, sem reservar espaços  para a família, com todos concorrendo em igualdade de condições e profissionalmente, sem um limite hierárquico fixado e com isso motivar seus colaboradores…

 Comentário do autor : talvez uma das situações mais desconfortáveis e difíceis de solucionar, seja essa, porque normalmente as melhores posições dos negócios são naturalmente reservadas para os familiares, pelos seus proprietários….é natural, por uma questão psicológica de proteção à família, aos “rebentos” (herdeiros) e ao negócio….Recomendamos que seja repensado o negócio, criando-se cargos executivos até o nível máximo, em que dependendo do porte da empresa, os familiares, passem a integrar um Conselho de Administração, uma Holding, deixando a gestão do negócio e cuidando dos investimentos,  do patrimônio e sua expansão com segurança…Atuarão estrategicamente, cuidando das diretrizes, dos caminhos, enquanto executivos cuidam do dia-a-dia das operações e resultados….Metas, esse é um dos caminhos…Muitas usinas de açúcar e álcool estão fazendo isso, como vimos ao termos nosso artigo publicado no Jornal Cana e na leitura daquele jornal, que recebemos regularmente, como colaboradores.

 Lembramos que os funcionários antigos, que formam os “escudeiros do rei” ou “mosqueteiros” acabam se acomodando com o tempo, numa posição em que evitam os confrontos para se manter na atividade e se contentam com as fatias dos bolos que lhe são dedicadas, mesmo as extras ocasionalmente, mas que no íntimo, tem uma certa insatisfação por não ter uma carreira ascendente….uma certa frustração… O equilíbrio é o melhor caminho !   

 Dica 7: Não empurrar com a barriga  indefinidamente as decisões de sucessão e profissionalização, pôr medo de perder o poder, ego pessoal e status social.   o atraso nas decisões pode gerar a perda dos patrimônios empresarial e pessoal…

 Comentário do autor : ninguém é eterno e às vezes situações de emergência ou doença e acidentes acabam levando antes pessoas no auge da capacidade e produtividade empresarial…todos nós conhecemos “N” casos deste tipo,alguns famosos no país, ocorridos nos últimos anos em algumas empresas conhecidas, do setor de fabricação de TV, aviação, mineração….Recomendamos que a sucessão não seja encarada como “pendurar as chuteiras”….”pegar o chinelo e pijama”, mas reiniciar um novo ciclo, talvez um novo negócio, menor, apenas seu, em que irá trabalhar por prazer, seja comércio, serviços, representações, turismo, enfim algo que dê mais prazer que “dor de cabeça”….ou mesmo, ingressar em atividades sociais, para retribuir aos que tem pouco, um pouco do que amealhou em tantos anos de labuta….

 Vejam o exemplo do Kasinski, depois de vender a Cofap, por problemas de conflitos familiares com os filhos, abriu uma empresa de motos, em Manaus, sendo ele mesmo o garoto propaganda, com mais de 80 anos. Temos que aplaudir ações desse tipo neste país onde temos centenas de aposentados de refinarias e siderúrgicas com pouco mais de 45 anos, encostados…improdutivos…..

 Por outro lado, os empresários que são adulados, tem o seu “ego” maior que o próprio corpo….passam a ser personagens….o “doutor fulano”….em Usinas, usa-se o título de doutor para todos os filhos….Alguns se julgam eternos e seguram o poder e o cargo até não se aguentarem mais em pé….não é uma boa política, com citamos acima….O melhor caminho é iniciar a profissionalização do negócio, no auge da idade produtiva, criando todos os mecanismos formais, legais, tributários, fiscais, para garantir a continuidade do patrimônio pessoal e dos negócios, evitando que sejam dilapidados por herdeiros perdulários,  como já aconteceu com várias fortunas no Brasil…..Fortalecer os negócios, organizando-os adequadamente, profissionalizando, criando conselhos,”holding” (patrimoniais ou familiares), fortalecendo o patrimônio, enfim, criar condições para que haja perpetuação dos negócios e da qualidade de vida na família.

 Dica 8 : Criar mecanismos para garantir a continuidade da empresa através das gerações (holding  patrimonial familiar, acordo de acionistas, conselho de família, conselho de administração, normas e procedimentos, unidades de negócios, código de ética para sócios e parentes, fundações, abertura de capital,  outros viáveis juridicamente)…

 Comentário do autor : atualmente, todos os empresários deverão ter o apoio de um bom e competente escritório contábil, que vá além do “antigo guarda-livros”, que traga soluções corporativas, estruturando “holdings”, captando recursos, indicando caminhos societários, seja nas cisões ou fusões, aquisições, sociedades participativas, benefícios fiscais, tributários, enfim, que realmente consiga assessorar adequadamente os proprietários na busca de soluções de continuidade, mesmo com o apoio  de terceiros, como advogados especializados. 

 Quem não criar os mecanismos de continuidade, que detalhamos passo a passo no áudio “As 10 dicas para o sucesso da empresa familiar” e  aproveitamos para trazer aqui alguns caminhos básicos, poderá ter uma empresa de uma geração apenas, a sua….Não acreditamos que seja o objetivo de nenhum empresário criar uma empresa apenas para si e sim que pensa sempre no futuro da família e na sua velhice. Logo, deve-se começar pelo conselho de família, que define quem vem ou não para os negócios e com isso já torna a empresa mais saudável gerencialmente e no seu clima ambiental.     Depois, um código de ética e normas, poderão ajudar a encontrar caminhos mais fáceis para conflitos entre sócios e parentes, no uso dos veículos, estrutura, dinheiro.     Ex: quem irá ficar com as ações de um sócio que falecer durante a gestão, a família ou outros sócios ?   Nos demais dispositivos, será  prudente consultar seu contador e advogado para ver a viabilidade de adotá-los, de acordo com o porte do negócio…. A Governança Corporativa (GC) é um dos caminhos para um crescimento mais seguro com relação a resultados.   

 Cabe citar que nas propriedades agrícolas surgiu a figura do condomínio agrícola, que vários proprietários pequenos se unem em escala, fundindo suas propriedades, para ganhar escala e especialização.  Cada família tem uma cota do condomínio e atua numa especialidade. Ex: um planta milho, o outro produz bezerros, outro engorda… E assim, os patrimônios são preservados para as próximas gerações.. Os condomínios tem um gerenciamento misto, entre família e profissionais contratados, pessoas que entendem do ramo….São caminhos que precisam ser pensados e repensados !  Quem criou isso foi um contador no Mato Grosso do Sul !   Merece os parabéns, porque salvou muitos patrimônios e a terra é um bem que não se pode perder. Nem o negócio da família, que respira como a própria ! 

 Dica 9 : Em casos de cisão, ruptura, falta de acordo, brigas, procurar uma solução a curto prazo, evitando demandas judiciais e prolongar o sofrimento pessoal…

 Comentário do autor : …..se o médico chegar no paciente, que precisa cortar o braço ou morrerá e disser que vai cortar devagar, com uma faca de serra…..recomendamos sempre a solução mais rápida e menos dolorosa possível aos conflitos, evitando que os sentimentos negativos fiquem mais fortes e enraizados, os ódios sejam criados e mais uma família passe a não se falar, a não conviver…Seja solução pacífica ou jurídica, com apoio ou não de terceiros, resolver logo é o caminho….o sócio quer sair, compre a parte dele…..não tem dinheiro, venda a prazo….se quer comprar, use veículos, casas, outros patrimônios…. .

 Tenho um caso recente, de dois irmãos que tinham montado um refúgio cultural no interior de São Paulo e durante dois anos cresceram juntos, até que venderam sua banca de jornal….Agora romperam, cada um tem um “Sebo de Livros e Discos”, com nomes diferentes e como convivo com os dois, estão evoluindo para negócios diferentes, um com espaço menor, discos raros, acesso e pesquisas em todo país, pela Internet, assim como vendas. O outro,com um espaço maior, já montou uma loja de decorações dentro para a esposa e começou a vender além dos discos, também aparelhos de som antigos e novos, principalmente toca-discos, que tem um movimento muito bom…..Resumo : ambos estão crescendo e tendo sucesso e as brigas terminaram !….

 Dica 10 : Solicitar ajuda de terceiros (amigos que tenham passado pôr situações similares) ou profissionais caso não consigam soluções no ambiente Familiar…

 Comentário do autor :…há pouco fomos consultados por um  executivo de uma fábrica de refrigerantes, onde dois irmãos estão em conflito, apesar do sucesso empresarial e social, numa situação que remonta à adolescência, conflitos mal resolvidos, mas que geram hoje, um certo mal estar nas reuniões de diretoria….Um dos irmãos, prático em máquinas e equipamentos, era um “gigante na fase de crescimento do negócio”, quando os maquinários eram mecânicos e ele os dominava, virando 24 horas / dia ao lado das máquinas, para mantê-las rodando….Os equipamentos evoluíram e ele se tornou obsoleto, não tendo habilidades administrativas ou gerenciais….O outro, com dois cursos superiores e uma visão empresarial muito aguçada, anteviu possibilidades de mercado em nichos e deu tacadas certeiras, colocando a empresa na fabricação e distribuição de uma ampla linha de produtos mais lucrativos que refrigerantes….Com isso eclodiu os ciúmes….Sugerimos um amigo nosso, terapeuta empresarial, quase 70 anos de idade, ex-empresário, ex-diretor de Associações Comerciais e Ciesp, com uma bagagem suficiente para cuidar de uma situação destas….E criar rapidamente o Conselho de Administração, deslocando os dois para essa nível, com uma reunião mensal, deixando a gestão para executivos contratados e reduzindo o conflito societário…

 Autor : Prof.João Mariano de Almeida, administrador de empresas, com pós em RH e mestrando em Gestão de Negócios, atuando desde 1981, em T&D (para formar e reciclar lideranças) e produtividade pessoal (redução dos ciclos das atividades).  Também desenvolve Projetos de Melhorias dos Resultados (PMR),focando marketing-vendas, compras-estoques, produtividade-processos, redução de custos-desperdícios, nas empresas familiares. Em RH, forma multiplicadores nos processos de  avaliar desempenho-rever funções-atividades-responsabilidades-autonomia. É autor do kit de áudiolivros “As 10 Dicas para o Sucesso da Empresa Familiar”  e consultor da Métodos Consultoria Empresarial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top