(11) 4116-1047

(11) 99115-7707

R. Fernando de Albuquerque 31 - cj. 42

atendimento@metodosweb.com.br

Em épocas de economia em turbulência, os “rumores e boatos” correm a uma velocidade maior e são repassados pelas pessoas como “oriundos de fonte confiável”.   As empresas com “pé no chão”, devem dar mais atenção a seus resultados financeiros e econômicos, produtivos e outros kpi´s (indicadores), para que possam alinhar sua estrutura e recursos, de forma a se posicionar perante a crise, fortalecer-se e sair na frente quando esta se encerrar.

É nesse momento que a consultoria empresarial presta um bom serviço aos negócios, com sua vivência de décadas em vários segmentos e portes de negócios, tecnologia para realizar um bom diagnóstico empresarial, cuja análise possibilitará criar soluções ou caminhos alternativos que vão levar a empresa novamente ao crescimento e bons resultados.

Por analogia, numa corrida de rua, se um bom corredor sair na frente dificilmente será alcançado. No mundo empresarial, a situação é similar, porque a empresa poderá ter a vantagem da tecnologia desenvolvida, dos recursos humanos já treinados para atuar em situação de vantagem competitiva, dos produtos sendo inseridos em nichos ou mercado e ganhando a preferência dos consumidores.

Quando os demais “corredores” chegarem à mesma distância, ao mesmo km da corrida, a sua empresa já estará posicionada de forma firme e poderá defender suas posições, sem perda de recursos, apenas usando um bom marketing e apoio comercial.

ALGUMAS VANTAGENS DAS EMPRESAS QUE SE ANTECIPAM

1.Estabelecer a lealdade do cliente – um produto ou serviço bem sucedido pode transformar-se rapidamente no padrão em relação ao qual as ofertas subsequentes serão avaliadas. O mercado é deles e eles o influenciam.

Exemplificando : No mercado brasileiro, muitos produtos foram líderes durante anos a fio, por terem chegado com tecnologias avançadas no lançamento, como geladeiras Brastemp e outros.  O linguagem popular criou a famosa expressão “é uma brastemp”, caracterizando qualidade.

2.Manter a liderança tecnológica – enquanto os concorrentes estão lutando para aprender como a empresa antecipadora desenvolver a tecnologia, o pioneiro está muito ocupado aperfeiçoando a próxima geração dessa tecnologia.

Exemplificando: Mesmo nos dias atuais, de ampla oferta de computadores, principalmente notebooks, possuir um  notebook “APPLE”, com o símbolo da maçã estampado no mesmo dá status e significa modernidade, uma máquina forte, prática, moderna, bonita, de alta capacidade de processamento, com a qual muitos sonham.                                                                                                                                                                         

3.Estabelecer os padrões do setor e aproveitar a posição mais favorável no mercado. Um produto revolucionário pode incorporar os padrões que serão seguidos pelo novo setor que cresce em torno desse produto.  Em um mercado novo, o primeiro jogador enfrente um território virgem. Pode escolher a imagem e a posição mais convenientes, capazes de contribuir com as vantagens mais expressivas.

Exemplificando: O Grupo Votorantim, através de sua divisão de cimento, líder de mercado no país e imbatível no estado de São Paulo, estabeleceu padrões internacionais de produção, que aliados a sua quase suficiência energética em função de Usinas de Energia próprias, consegue preços competitivos, que os concorrentes, mesmo os internacionais, não conseguem atingir nesse mercado, mantendo a liderança de mercado.

4.Dependendo do setor, os pioneiros podem obter uma importante proteção de patentes – uma oportunidade de obstruir os canais de distribuição, mantendo os concorrentes à distância e obrigando os clientes a investirem tanto em um novo produto ou serviço que eles terão extrema cautela antes de decidir trocar de fornecedor.

Exemplificando: a SABÓ, fabricante brasileira de autopeças, investiu em P&D no exterior, antes que a época Collor com suas decisões de abertura precipitada de mercado, destruísse o mercado brasileiro do setor, quando quase 100% das grandes empresas da época foram vendidas, como Cofap, Nakata, Freios Vargas, Metal Leve, além de outras que quebraram.

 

(Fonte: Crescer, não destruir, de Robert Tomask e Projetos de Produtividade e Gestão Empresarial realizados pelo autor).

Adaptado por: Prof.João Mariano de Almeida, administrador de empresas, com pós em RH e mestrando em Gestão de Negócios, atuando desde 1981, em T&D (para formar e reciclar lideranças), produtividade pessoal (redução dos ciclos das atividades), produtividade empresarial (processos, problemas, decisões) e inteligência de mercado (rever marketing, expandir vendas).

É autor do kit de áudiolivros “As 10 Dicas para o Sucesso da Empresa Familiar”  e consultor da Métodos Consultoria Empresarial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top