(11) 4116-1047

(11) 99115-7707

R. Fernando de Albuquerque 31 - cj. 42

atendimento@metodosweb.com.br

Perigos e Benefícios da Tecnologia

Consultoria Empresarial e Gestão  

Quem nasceu em fazendas ou sítios, nas décadas de 40, 50, 60, sabe que era  comum o uso de ferramentas manuais, como enxadas, enxadões, facões, foices, serras, serrotes, ancinhos (rastelos), cutelos, machados, arados.  A terra era arada com animais e o arado a principal ferramenta para tratar a mesma antes de se plantar. Poucas fazendas tinham tratores, o gado era criado a pasto livre, sem grandes tecnologias e uma das poucas preocupações era com a febre aftosa.   Os anos se passaram, a tecnologia evoluiu, muitas ferramentas sumiram.

A evolução da tecnologia fez seus estragos ou trouxe benefícios. A consultoria empresarial, sempre se manteve atenta e atualizada em tecnologia, acompanhando tendências, em equipamentos, máquinas, processos, sistemas de gestão, sistemas de informática, de forma que podem orientar uma empresa adequadamente em cada situação.

Uma empresa pode continuar ou sair de mercado por causa da tecnologia e os diagnósticos empresariais podem  ser um caminho para o empresário ter um retrato fiel do seu negócio, se continua viável ou não, se está defasado ou competitivo.

É HORA DA PERGUNTA: COMO ESTÁ SUA EMPRESA EM TECNOLOGIA? Enquanto pensa em responder, veja abaixo como a Tecnologia refletiu em alguns segmentos :

ALGUNS EFEITOS DA TECNOLOGIA NO CAMPO (AGRICULTURA, PECUÁRIA, FLORESTAL)

forte redução de mercado para os fabricantes de ferramentas agrícolas, hoje restritos ao atendimento de pequenas propriedades e chácaras, tratores mecânicos, substituídos por modelos avançados, arame farpado para cercas (substituído pelo arame liso e cercas elétricas). Muitos fabricantes quebraram ou mudaram de ramo.

–  mudanças de processos na produção de mudas de canas: produzir mudas de canas, pelo método MPB (muda pré brotada), a partir dos “mini rebolos”, com gemas (“olhaduras”) cultivadas em viveiros, com 15x maior produtividade em relação aos “toletes”. Em um hectare usava-se de 15 a 18 toneladas de cana em toletes, com germinação abaixo de 80%,  mas pelo novo sistema 1 tonelada será suficiente para produzir as mudas, além do ganho fito sanitário e da redução de mão de obra, através do uso de transplantadeiras de mudas, adaptadas para o plantio da cana.

ocorreu a redução dos empregos dos cortadores de cana, que perderam espaço para colheitas mecanizadas implantadas após a proibição da queima, mas que tinham alguns pequenos trechos para produzir  mudas (toletes) e trabalhar em terrenos irregulares (sem acesso às máquinas), agora ficam com menos oportunidades ainda.  Uma pequena parte, com mais estudos está sendo aproveitada para “pilotar” as novas máquinas agrícolas, de alta tecnologia.

desenvolvimento de novos cultivares, pelo IAC (Instituto Agronômico de Campinas), gerando canas com maior teor de açúcar, resistência a doenças,  maior altura, adequadas para colheita mecânica.

As Usinas se transformando em Empresas de Energia, fazendo total aproveitamento da palha (usada para gerar energia), do bagaço (usado para aumentar produção do álcool e queima posterior para gerar energia e também usado para alimentar rebanhos próprios consorciados ou vendido como ração para gado), trocando moendas pelo difusor,  A sobra de energia não consumida é vendida nas regiões.  Como a manutenção artificial dos preços da gasolina durante o último governo levou dezenas de Usinas à recuperação judicial ou fechar, é uma oportunidade para retomar mercado e investimentos nos próximos anos.

3ª.revolução agro pastoril florestal, que a partir do gado a pasto livre (2 animais/hectare), migrou para rotação de pastagens, usando piquetes (8 animais/hectare), entrou no Sistema de Plantio Direto, que usa a palha da colheita anterior (milho,aveia,milheto,sorgo), sem revolver a terra com arado e gradagem) e agora começa a consorciar floresta-pecuária e agricultura, com ganhos significativos de produtividade, para soja, milho, algodão).  Planta-se a soja, colhe-se, entra o milho e capim, saem, entra o gado e o ciclo se repete. Na parte florestal podem entrar o eucalipto e o pinus, ambos com forte expansão em alguns estados, devido demanda para celulose e madeira.

forte redução de empregos em fazendas de gado, que migraram para “confinamentos”, na fase de terminação dos rebanhos,  Estes cresceram 19,5´% nos últimos anos, por estarem cada vez localizados mais próximos das indústrias, viabilizando a diferença de custos entre “confinar e criar a pasto”.

abandono de animais como jumentos e jegues no Nordeste, antes usados para tocar gado e pequenas tarefas, trocados por motos e abandonados em vários locais, gerando problemas para as comunidades, já que não existe hábito de usá-los como alimento no país.

introdução das máquinas de ordenha mecânica em fazendas, reduzindo a mão de obra dos peões, porém agilizando o processo e ganho em produtividade e sanidade.

ALGUNS EFEITOS DA TECNOLOGIA EM EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA, REDES SOCIAIS, TELEFONIA, COMUNICAÇÕES, MÚSICA

extinção das fitas Tdk, VHS e dos aparelhos gravadores, vídeos cassetes, que se tornaram relíquias de colecionadores. Como muitas pessoas ainda tem fitas de VHS em casa (treinamento, filmes), surgiram os conversores,  que permitem transferir músicas e imagens para os computadores.

redução do mercado de Discos e seus aparelhos (vitrolas, toca discos) a um mercado de colecionadores, DJ´s e Sebos, trocados inicialmente pelos CD´s e DVD´s. E atualmente, pelos Blu-ray e baixa gratuíta de músicas na Internet.  Com reflexo no   fechamento de gravadoras e estúdios, já que atualmente os artistas ganham em shows o que antes ganhavam na venda de discos, cd´s ou dvd´s.

fechamento dos cinemas de rua, tão comuns em todas as cidades, foram fechados devido redução de público e hoje se concentram em Shoppings, usando tecnologia mais avançada (3D, 4D e outras), para atrair os frequentadores, com tantas opções que tem, incluindo canais pagos e “pirataria de filmes solta nas ruas”.

extinção do telex, substituído pelo fax, que caminha para ser também substituído por e-mails (bastando escanear o documento)  e outros mecanismos modernos. E do mercado de disketes (grandes e pequenos) substituídos pelos Pen Drive e drives externos.

eliminação do mercado dos rádios relógios, despertadores, telefone fixo, câmera fotográfica (exceto profissionais), calculadora (comum), MP3, MP4,  absorvidas pelas múltiplas funções dos novos celulares.  Quem fabricava já fechou, vai fechar ou mudar de mercado.

pré extinção dos netbooks, substituídos pelos tablets e celulares ou trocados pelo notebooks com maior capacidade e tamanhos diferenciados.

a rede social Orkut sendo substituída rapidamente pelo Facebook (83 millhões de pessoas no Brasil), surgimento do Youtube (1 bilhão de contas e 10% no Brasil), Twitter (33,3 milhões de usuários no Brasil, atualmente alterando sua capacidade para textos maiores).

saída de mercado de empresas tradicionais como Kodak (filmes e câmaras), Olivetti (máquinas de escrever mecânicas e elétricas), Gradiente e Sharp (aparelhos de som), Polaroid (máquinas e filmes), devido mudanças de tecnologia e não reação a tempo, para replanejar uma mudança de negócios.

Para quem tem medo dos perigos da Tecnologia é bom citar que existem sobreviventes como a IBM, que produzia uma das melhores máquinas de escrever elétricas, chamada IBM ESFERA, que percebeu as mudanças tecnológicas e ajustou seus negócios vendendo sua divisão de notebooks,  buscando outros nichos de atuação (cloud, big data, sotware, ERP e outras) e com isso vai bem.   Um modelo bem sucedido de negócio é a GE, que fabrica locomotivas, aparelhos eletrônicos e também utilidades domésticas.

 

ALGUNS EFEITOS DA TECNOLOGIA NOS TRANSPORTES (RODOVIÁRIOS, NÁUTICOS, AÉREOS).

evolução dos veículos de transporte, como caminhões, mais rústicos, mecânicos, desconfortáveis,  para modelos mais avançados, muitas marchas, bom conforto, mais econômicos, ar condicionado, alta tecnologia em segurança e freios.

mudanças nos segmentos de transporte ferroviário e náutico, produzindo-se locomotivas com maior potência, vagões de carga modernos e descarga automatizada, ou trens de passageiro com ar condicionado. E navios, com maior calado, capacidade de carga e velocidade.

evolução dos automóveis, que deixaram de lado os carburadores, entraram na injeção eletrônica e várias tecnologias oriundas da F1 e das inovações geradas pela competição entre montadoras, entre eles o câmbio automático.  Já é realidade os carros elétricos e híbridos e o Google sinaliza com o veículo autodirigido (sem motorista).

na aviação também a evolução tecnológica foi muito grande, desde os turbohélices da Ponte Aérea São Paulo-Rio de Janeiro,aos jatos de todos os tipos, sejam executivos de alto desempenho ou comerciais, com maior autonomia de vôo e economia de combustível.

(Fontes: Seminários de Sustentabilidade e Tecnologias da FIESP, Fóruns Brasilianas de Agrobusiness, pesquisas do autor e outros eventos corporativos).

Autor : Prof.João Mariano de Almeida, administrador de empresas, com pós em RH e mestrando em Gestão de Negócios, atuando desde 1981, em T&D (para formar e reciclar lideranças), produtividade pessoal (redução dos ciclos das atividades) e empresarial (processos, problemas, decisões). 

É autor do kit de áudiolivros “As 10 Dicas para o Sucesso da Empresa Familiar”  e consultor da Métodos Consultoria Empresarial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top