A importância da Logística e Supply Chain para aumentar os Lucros

Consultoria Empresarial e Gestão  

A importância da Logística e Supply Chain para aumentar os Lucros

O SURGIMENTO DA MODERNA LOGÍSTICA

Na evolução dos negócios, em cada época, um fator poderia ser considerado essencial. Na década de 90 eram os processos, depois veio a informatização total.   As poucos, veio ocupar seu espaço e se mostrar essencial a LOGÍSTICA.  Hoje, para reduzir custos e buscar suas metas financeiras, as empresas buscam integrar toda a cadeia produtiva, do fornecedor de matéria prima até o consumidor final.

consultoria empresariail tem atuado muito em projetos com essa demanda.   A busca de diferencial com base na qualidade tornou os produtos muito similares, sejam arroz, óleo, feijão, eletro-eletrônicos,autopeças, confecções. Os preços ficaram muito próximos uns dos outros, devido constantes realinhamentos pela concorrência.

Como a internet e redes sociais facilitam a realização de pesquisas de preços, todos os negócios interligados podem estabelecer preços a cada hora, ainda que estejam a milhares de km de distância dos concorrentes.   Olhar “o quintal do vizinho” se tornou fator de sobrevivência e o preço, a grosso modo, perdeu o seu peso competitivo.  E até a propaganda tornou-se menos eficiente com relação ao marketing dos produtos já que diariamente o público é bombardeado por malas diretas, anúncios em jornais, revistas, sites, portais, Tv´s, SMS e outras mídias eletrônicas.

A logística é um grande diferencial que pode fazer a diferença em toda cadeia produtiva, colocando o produto à disposição do consumidor, no lugar e no momento que ele precisa, sem a necessidade dele se deslocar até grandes atacadistas, lojas ou outros locais para comprá-los  em grandes quantidades e estocá-los.

OS GANHOS DA LOGÍSTICA

Os fabricantes e os clientes não podem ficar entupidos com estoque, o que significa aumentar o custo. No caso dos fabricantes, a produção é sua atividade fim e define o espaço que precisa.

Da mesma forma, os clientes que aplicam os produtos que compram em terceiros, como autopeças que atendem montadoras, já tem suas fábricas junto às linhas de produção e recebem os lotes programados regularmente, de acordo com os espaços disponíveis.   E o consumidor pode também comprar do supermercado o  suficiente para o gasto semanal da família, sem ter que estocar grandes lotes, mesmo porque o país não tem crise de abastecimento.

O fundamento da LOGÍSTICA é justamente EXERCER COORDENAÇÃO para GERAR DISPONIBILIDADE em todas a cadeia atendida.

Não basta alguém comprar um lote de mercadorias e pedir para entregar. Ele precisa saber exatamente a hora e o local onde os produtos devem ser entregues em seu negócio, seja uma rede de lojas, um atacado, um supermercado ou mesmo sua casa.

O ganho dos negócios depende também da velocidade do giro dos estoques e a LOGÍSTICA facilita isso.

A logística é capaz de trazer ganhos de produtividade, menores custos, um ciclo do pedido mais eficiente e serviços de qualidade aos clientes, além da redução dos estoques no fornecedor e no cliente.

O sucesso do COMÉRCIO ELETRÔNICO (AMAZON E OUTROS), só existe por causa da LOGÍSTICA e SCM.

COMO MEDIR O DESEMPENHO LOGÍSTICO

  • Custos de transporte e custos de armazenagem
  • Prazo de entrega e  tempos de movimentos
  • Tempo de atendimento a pedidos (lead time)
  • Taxa de ocupação de veículos e  níveis de estoque
  • Número de devolução e  número de avarias
  • Número de pedidos atendidos e  número de reentregas
  • Obsolescência (deixar produto vender prazo validade)
  • Frequência de falta de mercadorias

Uma observação visual no RODO ANEL de São Paulo, permitirá observar o surgimento de Grandes Áreas de Armazenagem, para aluguel ou já ocupadas, além de Centros de Distribuição de Grandes Redes e Supermercados, uma tendência, já que permite ganho de tempo no transporte, entre essas instalações e clientes finais.

Um Exemplo de Logística Eficaz é das Grandes Redes de Supermercados, que seguem os passos:

  1. Cada vez que um produto passa pelo leitor de código de barras no caixa do supermercado, o sistema informatizado dá baixa no estoque da loja.
  2. Uma relação de transparência e confiança permite ao fornecedor saber, em tempo real, o volume de venda de seus produtos em cada uma das lojas da rede varejista.
  3. Quando o volume da mercadoria no estoque da loja atinge a quantidade mínima preestabelecida pelo varejista, é hora de repor.
  4. Compartilhamento de dados permite ao fabricante planejar melhor o ritmo da produção, os pedidos de matéria-prima e as remessa para o armazém do supermercado.
  5. Centro de Distribuição, caminhões abastecem o local com produtos vindos das indústrias. Com a operação, o estoque do supermercado fica reabastecido, garantindo a provisão da gôndola.

Uma modalidade que teve grande crescimento escorado na logística foi “cash & carry” (atacado de auto serviço ou “atacarejo”), criados por várias redes diferentes aproveitando a oportunidade.

Enquanto outras redes menores e pequenos ainda fazem à mão, visualmente ou usando planilhas, com maior dificuldade em repor as prateleiras em tempo hábil.

Através de um bom diagnóstico empresarial você poderá identificar também os possíveis ganhos logísticos para a sua empresa e direcionar soluções.

Problemas de Infraestrutura no país e reflexos na Logística

O grande entrave à expansão do SCM e Logística no país, continua sendo os investimentos insuficientes em infraestrutura, com ferrovias que se arrastam há décadas, sem conclusão, portos não concluídos, BARRAGENS  sem eclusas para navegação ou calado suficiente (hidrovia do Tocantins), falta de integração entre modais (ferroviário, aquaviário e rodoviário).

Diferença de bitolas nas ferrovias, gerando um desastre no final das safras de grãos nas novas regiões produtores, quando mais de 80% do total são direcionados via rodoviária para os portos do sudeste (66 milhões toneladas de grãos), enquanto os terminais e portos do norte continuam em construção e seriam uma alternativa.

As perdas em transporte e falta de estocagem dos grãos no país já superam os ganhos em produtividade obtidos nos últimos anos.

Na rota Santos/Paranaguá a Soja custa U$126 ton….na rota de Miritituba/Belém-PA o custo seria U$80/ton, uma diferença brutal de perda potencial de renda da cadeia produtiva. Anualizando U$46 x 28.000 /ton = U$1.2 bi / ao ano.

(fonte: Seminário O agronegócio e o comércio mundial-brasilianas.org em 22/09/15-SP).

A revista Exame, em reportagem de 23 de abril de 2003 na reportagem “O Brasil que não dá certo”, problemas de infraestrutura, legislação e burocracia emperram o transporte e cargas e custam ao país 100 bilhões de reais por ano, mostrando 60 km de filas de caminhões no porto de Paranaguá-PR.

O pior é que nestes 12 anos pouca coisa melhorou.  A unificação de ministérios e racionalização de rotas para obras de infraestrutura poderia melhorar resultados.  Existem portos públicos Federais e Estaduais, com legislação diferentes, que podem ser unificadas. E o planejamento da infraestrutura deve ser feito a longo prazo, independente do governo, para que as obras tenham continuidade.

QUER SABER MAIS ?

SOLICITE  AQUI  UMA  APRESENTAÇÃO  EM SUA EMPRESA

Adaptado por  : Prof.João Mariano de Almeida, administrador de empresas, com pós em RH e mestrando em Gestão de Negócios, atuando desde 1981, em T&D (para formar e reciclar lideranças) e produtividade pessoal (redução dos ciclos das atividades). 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top