(11) 4116-1047

(11) 99115-7707

R. Fernando de Albuquerque 31 - cj. 42

atendimento@metodosweb.com.br

BONS COMPORTAMENTOS CORPORATIVOS MELHORAM RESULTADOS

Consultoria Empresarial e Gestão  

PESSOAS, PROCESSOS E ROTINAS SE MISTURAM

As empresas são constituídas por estruturas (prédios, equipamentos, ….), sistemas de gestão (ERP, CRM, integrados, planilhas,….), pessoas (necessidades, formação, carências, sentimentos,…….).  Atuam para atender pessoas, fornecer ou comprar, sejam produtos ou serviços. Sem pessoas não existem empresas !

Numa indústria, há o processo de transformação, que pode partir de matérias primas originais e chegar ao produto final. Ou através de matéria prima já processada e transformada em subprodutos que sejam seu material inicial, como os derivados de petróleo, que dão origem aos plásticos e outros produtos finais.  E atualmente, as matérias primas originadas da logística reversa e reciclagens, como desmanche de veículos e sobras de metalúrgicas, gerando aço para siderúrgicas, papelão para companhias de celulose e outros reaproveitamentos.  O crescimento da preocupação com ecologia e sustentabilidade, apesar do governo ainda taxar reciclados de forma abusiva, tem feito surgir novas indústrias nesses nichos, reprocessando sobras que antes iam para aterros sanitários emporcalhar o meio ambiente.

No comércio, sejam distribuidores ou varejistas de portes diferentes, quando os produtos já vem prontos, o trabalho é separar individualmente caso venham em embalagens coletivas, classificar, identificar e colocar à disposição para venda futura. Se vierem em embalagens coletivas, estas serão desmembradas em individuais ou kits, conforme o produto e também colocadas à disposição de vendas.  Na padaria a oferta de produtos se multiplicou, o ambiente mudou, se tornando points e restaurantes conjugados, onde você faz sua refeição e ainda leva pão para casa.

Em serviços, os equipamentos permitem ganhar tempo na execução e qualidade. Se antes para sacar um moto do carro na oficina era um drama, hoje com elevadores e outros equipamentos, é questão de minutos. As falhas são minoradas e até extintas dependendo do profissional.  Os “meia sola” estão sendo extintos do mercado, em todos os segmentos, desde o eletricista “meia boca”, do mecânico “quebra galho”, até o técnico que vem instalar uma máquina de milhões, todos tem que estar capacitados,buscar novos conhecimentos em cursos, palestras, eventos, feiras de negócios.  O mundo mudou e quem parou no tempo, tá fora ! que o digam os mecânicos que só lidam com carburadores…..

Nessa mistura de pessoas, processos e rotinas é que surgem COMPORTAMENTOS PERIGOSOS que podem prejudicar os resultados.  Assim como BONS COMPORTAMENTOS, que podem alavancar a empresa, para melhores posições no mercado.

BONS COMPORTAMENTOS CORPORATIVOS

1) – ASSUMIR O ERRO….SIM, ERREI, FUI EU.  Em algumas empresas, o colaborador perde a coragem de dizer isso, porque tem medo de represálias que podem resultar na perda do emprego.  O motivo é a uma gestão sem preparo, porque o erro faz parte da tentativa de acertar, da coragem de fazer. O fato é que  quando estimula-se a responsabilidade em “tentar fazer quando houver uma situação que exija uma nova ação” ou “sair na busca de soluções” perante um problema, dando-se AUTONOMIA para isso, as pessoas FAZEM.  E os resultados aparecem. É nesse momento, que as funções, suas atribuições ou atividades e tarefas devem ser revisadas e simplificadas, suas responsabilidades clareadas e sua autonomia bem definida, para que a empresa “ande”, os problemas sejam resolvidos com presença ou não do Gestor, Diretor, Proprietário.  Os negócios precisam ter suas rotinas normais, decisões ocorrendo, resultados aparecendo em todas as ocasiões. Se não ocorre, isso é problema de organização, centralização de poder, falta de treinamento e capacitação para delegar com segurança.

2) – TRABALHO EM EQUIPE E ALTRUÍSMO.…..o termo “altruísmo” vem do francês “altruisme” através de Augusto Comte, em 1830 , opõe-se ao egoísmo, com sua individualidade e egocentrismo, onde a pessoa pode-se achar “o rei da cocada”….  Para trabalhar em equipe, a pessoa tem que trabalhar seu lado altruísta, abrindo mão do direito de propriedade de idéias e soluções em prol da equipe.  A frase “eh, eles fizeram, mas a idéia foi minha”, tem que ser deixada de lado, pela “que bom, conseguimos criar coisas novas”, “a equipe é ótima, pensa muito e faz”…e assim por diante.  Se for necessário, o participante tem que agir como “escada” para que outro consiga fechar a idéia e chegar ao resultado. No mundo das pesquisas científicas e médicas, isso ocorre quando um pesquisador desenvolve pesquisas e publica seus resultados. Um discípulo ou continuador, pode dar sequência e chegar a bons resultados. Muitos produtos médicos foram criados assim. Nas comédias, sejam de teatro ou cinema, esse papel é normal para o ator que faz a escada….Armar a piada para o colega concluir e o público rir. O riso é o resultado do trabalho bem feito.  O remédio lançado no mercado, também. Assim como um novo produto ou serviço, que pode revolucionar o mercado.

3) – PROATIVIDADE, SAIR NA FRENTE…..esse comportamento só vai ocorrer se a pessoa sentir-se confiante, seja o empresário, empreendedor, que tem recursos, capacidade ou coragem para isso….”vou lançar o produto e ver no que dá”….”vou criar um novo negócio”…..  Para os líderes, gestores de todos os níveis, é preciso que a AUTONOMIA seja real e não discurso do empresário e dos diretores.  Se for discurso apenas, com risco de fatalidade para o cargo do gestor, ele vai se encolher na função, ficar na defesa… “”ficar na moita”, como se diz no interior….Permitir que o colaborador possa se desenvolver na sua função e até em outras do seu setor, flexibilizar sua atuação com rodízio ou estágios em outros setores, abrir vagas para aproveitamento interno, já é uma política praticada por empresas avançadas como a Natura e outras.   Dar suporte para que seja feito um PAD-programa de auto desenvolvimento do colaborador, com etapas e prazos, ampliando seus conhecimentos conceituais e comportamentais, vai permitir que ele tenha a coragem de ser proativo quando surgir necessidade.   As palavras chaves para o Empresário são INVESTIR, INCENTIVAR, MOTIVAR, ENGAJAR,  CAPACITAR, DAR AUTONOMIA para ter parceiros que possam SAIR NA FRENTE quando precisar e não subalternos medrosos, com medo de serem dispensados.

No E-book “Noções Práticas de Chefia e Liderança,que sugerimos acessar, abordamos aspectos técnicos, funcionais e comportamentais para diferenciar “chefia e liderança” e também permitir bons resultados com os colaboradores.

 

Autor :  Prof.João Mariano de Almeida, administrador de empresas, com pós em RH e mestrando em Gestão de Negócios, atuando desde 1981, em T&D (para formar e reciclar lideranças) e produtividade pessoal (redução dos ciclos das atividades).  Também desenvolve Projetos de Melhorias dos Resultados (PMR),focando marketing-vendas, compras-estoques, produtividade-processos, redução de custos-desperdícios, nas empresas familiares. Em RH, forma multiplicadores nos processos de  avaliar desempenho-rever funções-atividades-responsabilidades-autonomia. É autor do kit de áudiolivros “As 10 Dicas para o Sucesso da Empresa Familiar”  e consultor da Métodos Consultoria Empresarial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top